29 de mar de 2011

O que deveria ser para melhorar, piorou e muito, como fruto da desonestidade e da ganância de ganhar dinheiro.

Preste atenção meu caro leitor: a obra que mostramos agora não é repetição da passagem molhada da Santa Rosa não. Essa daí é a passagem molhada do Jatobá, lá no distrito do Canindezinho, obra que teria custado, segundo placa no local mais de 140 mil reais. Pasmem: Está lá o valor de mais de 140.000 reais.


Segundo relatos de moradores um certo sub-empreiteiro, em visita à obra, determinou que o operário pusesse uma mistura de seis volumes de areia para um de saco de cimento. Essa proporção, além de em profundo desacordo com o projeto, revela a ganância da roubalheira do prefeito em desfavor da comunidade e dos cofres públicos.
- Sacos de areia colocados pela própria comunidade na tentativa de conseguirem transitar por ali -

O que agrava o sentimento de revolta é o descompasso dos fatos reais com o discurso descarado do prefeito de tão honesto, de tão organizado, de tão preparado. Os moradores daquela região não merecem tamanha cretinice, tanto sofrimento.




Diante de fatos como esse e da grandeza desse blog que está desmascarando, a cada dia, a farsa dessa gestão que só pensa em ganhar dinheiro, e da escancarada desmoralização de Zé Hélder, que ele vem comprando desesperadamente eleitores, oferecendo empregos às custas do dinheiro dos professores, na tentativa de diminuir o desgaste com tanta corrupção.

Deputado Genecias defende melhor regulamentação do investimento em Saúde

Talvez o debate mais importante, de maior impacto para a população, e que deve ser realizado imediatamente no Congresso Nacional é o financiamento da saúde pública, o que implica na regulamentação imediata da emenda constitucional 29, assunto parado há 10 anos no Congresso Nacional.
Hoje, os Estados e Municípios têm a obrigação de investir, respectivamente, 12% e 15% de suas receitas em saúde, porém a União não tem um percentual fixo nem parâmetros determinados para investir na área.
O deputado federal Genecias Noronha (PMDB-CE), que foi por duas vezes prefeito da cidade de Parambu, no interior do estado do Ceará acredita que somente a regulamentação da emenda 29 fará com que estados e União cumpram sua parte no investimento na saúde. “As prefeituras são obrigadas a investir 15% e os Tribunais de Contas cobram este investimento. Os Estados não são obrigados e não cumprem. Muitas vezes os orçamentos dos municípios ficam comprometidos em ate 30% para investimento na saúde justamente porque não tem a obrigatoriedade de investimento dos Estados. Os municípios cumprem sua parte, os Estados embutem a construção de banheiros na verba que deveriam investir na saúde”. Explica o Deputado.
A regulamentação estabelece e deixa claro quais ações serão consideradas efetivamente de saúde - todas elas, inclusive, vinculadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, ela oferece ferramenta legal mais adequada para fiscalizar a aplicação dos gastos na área. O texto vem deixar definitivamente claro que limpeza urbana, merenda escolar e obras de saneamento não poderão ser custeadas por essa verba.
A terceira ponta do custeio está no governo federal. A proposta que está parada no plenário da Câmara dos Deputados desde 2008, propõe que a União use como critério de cálculo o mesmo valor empenhado no ano anterior, corrigido pela variação nominal do Produto Interno Bruto. O texto, no entanto, não define o percentual exato da receita que a União deve investir na saúde.
Enquanto os estados e municípios devem gastar com a política pública de saúde um determinado percentual fixo da receita de impostos e transferências constitucionais, a União não teve qualquer vinculação de gasto à progressão de sua receita.
Para o Ministério da Saúde, a União destinou R$ 77,1 bilhões, porém, grande parte desses recursos (R$ 68,6 bilhões) ainda podem ser contingenciados. Além disso, esse orçamento não estima os repasses aos municípios e aos estados.
A regulamentação da Emenda 29, defendida pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios), pode representar R$ 30 bilhões por ano para a saúde dos municípios e estados. Essa regulamentação não apenas garantirá uma solução mais definitiva e estável do financiamento para a saúde, como também precisará quais gastos entram sob sua rubrica, dessa maneira melhorando a sua fiscalização
Como afirma o CNM, a aprovação da Emenda representou uma importante conquista da sociedade para a construção do SUS e para a universalização do acesso à saúde, porém a falta da sua regulamentação solapa uma das maiores conquistas da nossa sociedade, comprometendo diretamente a qualidade de vida e o cuidado com a saúde do povo brasileiro.

25 de mar de 2011

Se não derem ouvidos aos professores, PARALIZAÇÃO JÁ!!

A publicação de artigo hoje neste blog sobre os desvios de função praticados pelo prefeito no FUNDEB despertou a ira de alguns professores. Comentários não param de chegar.
Aproveitando a ocasião, sugerimos aos professores que solicitem junto ao presidente da Câmara de vereadores, o senhor Luis Luciano, uma audiência pública naquela casa para que as denúncias envolvendo a má aplicação dos recursos do FUNDEB sejam esclarecidas.
Que seja convocado o senhor secretário de educação, os coordenadores dos programas de educação de adultos, professores, dirigentes sindicais e toda sociedade.
Audiência pública é essência do desempenho do parlamento. No caso presente, reveste-se de melhor instrumento de aferição de transparência dos gestores da educação em Várzea Alegre. Essa sempre foi uma das principais bandeiras de Zé Hélder. A sua negação ao chamado, é o atestado de culpa.
Caso as medidas não sejam atendidas e diante da grandeza do rombo que estão provocando na conta do FUNDEB em prol da politicagem, outra não deverá ser a postura da categoria que sofre os prejuízos senão, GREVE imediata. Esse movimento, desde que bem fundamentado, somente deflagrado após exaustiva tentativa de debate, contará com adesão integral da sociedade. Instrumentos de mobilização não faltarão como internet, jornais, panfletos etc.,  e uma imensa insatisfação da juventude e exigência de seriedade por parte dos gestores no trato da coisa pública.
A juventude está revoltada e em ebulição, diante dos fatos ocorridos em Várzea Alegre e da hipocrisia sarcástica do senhor prefeito.

Atuação de Genecias na CDU

O deputado federal Genecias Noronha (PMDB-CE), titular da Comissão de Desenvolvimento Urbano (CDU), defendeu  nesta quarta-feira, 23 de março, que os municípios que perderão receita no que se refere ao repasse do Fundo de Participação dos Municípios tenham essas perdas parceladas para que o choque nas finanças da administração local não sejam tão severas.
Em conversa com Paulo Ziulkoski, presidente da Confederação Nacional dos Municípios, o deputado federal reafirmou sua posição de apoio e luta em favor dos pequenos municípios, visto que de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) houve municípios que tiveram uma queda na sua população de 40 mil habitantes para 17 mil habitantes, uma queda que, se estiver correta, acarretaria a falência da folha municipal, impedindo qualquer tipo de realização de obras, pois o valor a ser recebido será muito inferior ao planejado, já que o valor do FPM é cálculado com base no tamanho da população municipal.

O presidente da CDU, Manoel Júnior (PMDB-PB) elogiou a atuação de Genecias Noronha na luta em defesa dos pequenos municípios, em especial do Norte e Nordeste do país, observando que o deputado federal e ex-prefeito da pequena cidade de Parambu, no interior do Ceará, é profundo conhecedor das dificuldades que as pequenas cidades enfrentam.

Acorda, sindicato! À luta, professores! Estão roubando o dinheiro de vocês!

O blog Várzea alegre Real não compreende a passividade do sindicato dos servidores e dos próprios professores, diante do quadro de humilhação que o prefeito Zé Hélder impõe à categoria.
Os salários pagos em Várzea Alegre são miseráveis. Sobre isso, o prefeito gosta de comparar com a gestão passada. Hipocrisia, farsa, fuga da realidade. Não há parâmetro de comparação. Em 2004, último ano da gestão do ex-prefeito, o então FUNDEF transferia uma miséria. Hoje, com o FUNDEB, a verba é milionária. Daria para pagar o piso nacional com folga. Quem quiser ver ou comparar é só abrir o “site” do tesouro nacional, tá tudo lá.
Não há que se falar em medo de ninguém, ameaças, etc. Tem que lutar. Essa folha do FUNDEB tem que ser transparente. O prefeito tem que ter coragem de mostrar os desmandos, os desvios éticos praticados no âmbito do FUNDEB em desfavor dos professores concursados.
Não se admite que uma categoria como essa de professor se aquiete diante de tantos desatinos. Essa desordem no EJA, pessoas irregulares ganhando mais do que os concursados, aumento desenfreado de pessoas sob o título de cargo em comissão, tudo isso tem que ser revisto.
Entretanto, para isso é necessário coragem. Tem que ter força para lutar. Procurem a Promotora, ela é servidora pública, tem obrigação de recebê-los e agir.
Uma ação conjunta com os vereadores que tenham a coragem de lutar, não significa politicagem. Para essa luta, onde o futuro dos professores, suas aposentadorias, a vida de seus filhos, todo apoio é bem vindo. Essa administração tem que ser questionada, cobrada, recursos há,  eles estão sendo desviados na cara de vocês em prol de um projeto político, eleitoreiro, somado a outras ações como fraudes, licitações viciadas, desvios, etc.
Você é sabedor, aqui em Várzea Alegre, compra-se voto em período não eleitoral. As cifras são inacreditáveis, a principal moeda de troca, o empreguismo, é usada com o dinheiro de vocês.

Não se respeita professor, não se respeita mais ninguém. E haja fraude!

Os professores concursados do FUNDEB têm procurado os vereadores de oposição para pedir-lhes auxílio à categoria, mas rogam, de imediato, silêncio em relação aos seus nomes. Sentem medo. O próprio sindicato dos servidores já foi mais combativo.
A manifestação nesse blog dos vereadores no sentido de se procurar a Polícia Federal para a abertura de inquérito sobre fraudes em programas de educação de adultos, não tem nenhum propósito de perseguir qualquer cidadão, mas de se apurar os fatos denunciados.
A ação dos vereadores visa, além de buscar corrigir as deformações, dar um suporte aos professores que vêm perdendo força em seus salários e se sentem frágeis para a luta em prol de seus direitos.
Os vereadores estão dispostos a aguardarem um pouco até que as deturpações do programa sejam corrigidas, caso contrário, todas as providências serão encaminhadas.
As fraudes são gritantes. Sempre que se fala em fiscalização, é um corre corre danado. Tem professor que faz até merenda para atrair alunos matriculados, mas que servem somente de fachadas.
Já que o prefeito Zé Hélder falava tanto em retidão, probidade, seriedade, deveria, em vez de ficar escondido, amedrontado e desconfiado, agir no sentido de eliminar essa chaga que fere frontalmente uma categoria tão nobre, tão importante como a do professor.
Não elencamos aqui as distorções desse programa, que são muitas, mas avisamos que, caso as fraudes não sejam corrigidas, as ações visando punição contra quem quer que seja serão imediatas. Seja contra Zé, Pedro ou TEREZA.
Quem quer pagar pra ver?

23 de mar de 2011

O povo já sabia. Agora, até os aliados não conseguem defender.

A situação de Zé Hélder perante a opinião pública é desastrosa.  Desde a entrevista que concedeu à rádio cultura, onde falou que esperava por Chico e Zé Batista para enfrentá-los cara a cara, seu nome desmorona tal como uma carreira de dominós enfileirados.
Após uma seqüência de fatos, de investigações, de instruções, de noites em claro para Chico, Zé e Eliana, de discursos, embates, pelejas, Hélder foi à lona.
Não dá mais para segurar. Quem quiser defender o prefeito, que o faça pela amizade, pela gratidão, pelo medo de perder a teta do poder. Jamais pela crença em sua honestidade.
Valdecir, após seis mandatos, discursos corajosos, vida coerente, jogou a toalha. Não encontrou razões para continuar acreditando naquele discurso que pregava a santidade de Zé Hélder. Fez o que mandou sua consciência, seu coração. Exigiu, nesta quarta, por ocasião da reunião da Câmara, que Zé Hélder reconheça as irregularidades cometidas, que seja mais humilde e procure se corrigir. Esse é o Valdecir que toda Várzea Alegre conhece.  Agiu de acordo com o povo que o elegeu. Está de parabéns.
Sobre a postura de Luis Luciano, é imperioso que reconheçamos, foi corajoso, coerente. Agiu sob influência única e exclusiva de sua coerência, visível ao reconhecer a utilidade do trabalho de Chico Clementino, Eliana e Zé Batista. Corajoso, porque, ao reconhecer o trabalho de seus colegas adversários, sabia que poderia receber retaliações.
A posição ostentada por Luis e Valdecir, é uma clara demonstração da força da opinião pública sobre os atos do parlamentar e do político em geral. Isso reflete o que pensa a população sobre os atos de Zé Hélder, que ele tenta mas não consegue mascarar.